Max e Mary – uma amizade diferente

MAX e MARY – Uma amizade diferente

(Mary and Max – Austrália – 2009)

nair lúcia de britto

Nair Lúcia de Britto é Comentarista de Cinema, jornalista e poeta.

Dirigido pelo incrível Adam Elliot, o filme conta a história de Max e Mary, dois personagens que, assim como os outros que os cercam, são feitos de argila.

O desenho animado tem cores escuras ou pálidas que combinam com a história melancólica, dramática e ao mesmo tempo muito engraçada. Alguns pontos estratégicos pintados em vermelho quebra os tons obscuros.

O tema aborda com leveza problemas psiquiátricos como autismo, síndrome de ásperger, cleptomania, depressão, agorafobia e bullingNo desenrolar dos acontecimentos que absorvem inteiramente a atenção do espectador, são retratados o estilo de vida de Monte Waverley, na Austrália, onde Mary Daisy Dinkle vive; e Nova Iorque, onde seu amigo mora.

Embora distantes, o que os aproxima são “Os Noblets”, desenho animado, que ambos gostam de assistir na tevê. Daí porque Mary toma a iniciativa de lhe escrever uma carta e os dois começam a se corresponder e trocar confidências; o que dá origem a uma grande amizade.

O narrador da história tem um papel artístico relevante pela beleza da narração e do vocabulário empolgante. A trilha sonora é outro destaque admirável. Além disso, é uma delícia ouvir Que Sera Sera (Whatever will be, will be) , tirada um clássico de cinema, com Dorys Day; canção relembrada acompanhada de uma técnica de imagem excelente.

Bem-humorado, apesar de triste; criativo, inteligente, superbem elaborado, é um desenho animado que valoriza muito a verdadeira amizade e o quanto ela é importante em nossas vidas. Garanto que as crianças vão gostar e os adultos não devem perder!!!

 

Post Author: partes