Avaliação dos sistemas de combate a incêndio de uma instituição pública de ensino superior localizada no município de Mossoró – RN

Avaliação dos sistemas de combate a incêndio de uma instituição pública de ensino superior localizada no município de Mossoró – RN

 

Marcelo da Silva Virginio

 

Resumo

Os sistemas de combate a incêndio são equipamentos normatizados e especializados que agem na extinção do fogo nas situações de emergências. Visando a proteção dos usuários de uma universidade, este trabalho tem como objetivo avaliar o sistema de combate a incêndio em uma Instituição Pública de Ensino Superior, verificando se a mesma está em conformidade com o Código de Segurança Contra Incêndio e Pânico do Estado do Rio Grande do Norte. Na metodologia foram realizadas cinco vistorias em três prédios: um de salas de aulas, um de salas de professores e o outro de laboratórios educacionais. A análise dos dados obtidos comprovou que o sistema de combate a incêndio da instituição não está conforme as normas solicitadas pelo Corpo de Bombeiros do Estado e que é necessário à correção dos projetos de combate a incêndio utilizado na universidade.

Palavras-chave: Incêndio, Avaliação de Conformidade Segurança.

 

Assessment of the fire fighting in a public institution of higher education located in the town of Mossoró – RN

Abstract

The fire fighting systems are standardized and specialized equipment that act in extinguishing fire in emergencies. In order to protect the users of a university, this paper aims to evaluate the system of fire fighting in a Public Institution of Higher Education, checking if it complies with the Code of Fire Safety and Panic of Rio Grande North. Methodology were five surveys in three buildings: one of the classrooms, one of the other rooms and teachers of educational laboratories. The data analysis showed that the fire fighting system of the institution is not in accordance with the standards required by the Fire Department and the State that is needed to fix the projects firefighting used in university.

Keywords: Fire. Conformity Assessment. Security.

 

 

INTRODUÇÃO

Os incêndios sempre trouxeram acontecimentos trágicos, deixando marcas indestrutíveis nas pessoas envolvidas. Os grandes incêndios estão relacionados às falhas durante a execução do combate inicial, à ausência de políticas públicas na gestão da prevenção e ao controle de incêndios nas edificações (THESIS, 2007).

O propósito global da segurança contra incêndio nas edificações é a redução do risco de danos às propriedades, sendo o objetivo principal a segurança das pessoas. No Brasil, a preocupação com a segurança tem evoluído bastante. A busca por melhoria contínua das legislações para qualidade da segurança das edificações e áreas de risco envolve uma crescente participação de profissionais que atuam na área e do órgão público responsável pela gestão de segurança contra incêndio.

No Rio Grande do Norte, os estabelecimentos comerciais com grande fluxo de pessoas já estão adotando medidas de proteção e segurança contra incêndio. Essas medidas objetivam a prevenção e a integridade física dos trabalhadores e demais usuários dos locais.

Para Moraes (2006), o projeto das edificações deve ser elaborado visando, além das necessidades estéticas, funcionais e econômicas exigidas pelo proprietário, as exigências relacionadas à segurança contra incêndio, o que pode ser visto por alguns profissionais da área como um fator limitante para o desenvolvimento de projetos.

As instalações de proteção contra incêndio apresentam-se de forma eficiente na salvação de vidas humanas. O uso dos extintores vem sendo abordado, cada vez mais, pelas empresas, escolas, indústrias e faculdades. O seu uso se tornou obrigatório e indispensável em locais que apresentam riscos de incêndio.

 

MATERIAL E MÉTODOS

A metodologia utilizada neste artigo foi divida em três etapas: primeiramente, foi feito um levantamento bibliográfico de todo o material utilizado; logo em seguida, foram coletados os dados das edificações; e, para finalizar, foram analisados os dados obtidos na coleta realizada.

No levantamento bibliográfico o tema estudado foi sobre os métodos de combate a incêndio e, para a elaboração do projeto, foram pesquisados, analisados e selecionados vários tipos de pesquisas, artigos, livros, monografias e arquivos virtuais que pudessem de alguma forma, auxiliar no desenvolvimento do projeto.

Foram aplicadas as Normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT -, a Norma Regulamentadora – NR 23 – e o Código de Obras da cidade de Mossoró para verificar se os equipamentos de combate a incêndio estavam adequados para serem utilizados.

Para a coleta de dados foram realizadas cinco vistorias nas edificações da instituição analisada. Observou-se que todos os prédios têm estruturas similares. Sendo assim, foram selecionados três prédios: sala de aulas, sala dos professores e laboratórios educacionais, e foram verificados se os materiais de combate a incêndio estão de acordo com as normas estabelecidas pelo corpo de bombeiro. Na escolha dos prédios, foram observados os seguintes itens: fluxo de pessoas; periculosidade dos materiais existentes dentro das edificações; e a similaridade dos projetos arquitetônicos com os demais prédios.

Para realização do levantamento técnico dos materiais de combate a incêndio das edificações, foram utilizadas as plantas arquitetônicas e as plantas das instalações de combate a incêndio, ambas disponibilizadas pelo setor de infraestrutura da universidade. Os projetos estavam em um estado eletrônico e, devido a isso, foi necessária a utilização do programa AUTOCAD, projeto auxiliado pelo computador, para se obter a altura e a área construída da edificação.

Após o cálculo da altura e da área construída, foi classificado o tipo da edificação e indicado quais seriam os sistemas de combate a incêndios necessários para proteger o prédio. Então, foi realizada uma vistoria dos sistemas de combate a incêndio das edificações e foi feito um comparativo de conformidade entre o projeto de incêndio requerido pela norma e o projeto de incêndio realizado pela instituição. Os resultados foram colocados em várias tabelas e expostos aqui, de forma a possibilitar maior esclarecimento e entendimento do assunto em questão. A conclusão dos resultados obtidos fez-se necessário para saber se o trabalho foi satisfatório ou não.

 

RESULTADOS E DISCUSSÕES

Nesta etapa, foram avaliados os sistemas de combate a incêndio presentes nas edificações da Instituição. Para avaliação, foram utilizadas as normas vigentes pelo Corpo de Bombeiros e o Código de Obra da cidade de Mossoró. A avaliação se iniciou com a escolha dos prédios para realizar a vistoria.

Após a escolha dos prédios, foram calculadas as áreas construídas e as alturas dos prédios. O cálculo foi feito utilizando os projetos arquitetônicos disponibilizados pelo setor de infraestrutura da Instituição.

Então, duas das edificações estudadas tinham altura inferior a seis metros, e área construída superior a 750 m², e a outra edificação tinha altura entre seis e quinze metros e área construída inferior a 750 m². Logo foram obrigatórios os seguintes equipamentos: prevenção fixa (hidrantes); prevenção móvel (extintores de incêndio); sinalização; escada convencional; instalação de hidrante público; iluminação de emergência.

Com o tipo da classificação especificada, torna-se necessário identificar se a edificação condiz com as normas vigentes pelo Código de Segurança e Prevenção contra Incêndio e Pânico do estado do Rio Grande do Norte.

Deve-se ressaltar a importância do material bibliográfico em mãos, tendo em vista que é por ele que a fase da execução irá se basear. Para facilitar o desenvolvimento do trabalho, será apresentada uma tabela com os quesitos analisados de cada sistema de combate e prevenção ao incêndio, para seus respectivos resultados serão adotadas as siglas (C) para conforme,  e (NC) para não conforme.

 

Tabela 1-  Resultado Geral de Conformidade

 

Edificações

 

Extintores

 

Hidrantes

 

Iluminação de Emergência

 

Saídas de Emergência

 

Prédio de aulas

 

NC

 

NC

 

NC

 

NC

 

Prédio dos professores

 

 

NC

 

 

NC

 

 

NC

 

 

NC

 

Prédio dos laboratórios

 

 

NC

 

 

NC

 

 

NC

 

 

NC

Fonte: Autoria própria (2013)

Logo, conclui-se que os sistemas de combate a incêndio instalados na universidade apresentam-se divergentes com relação aos projetos requeridos pelo Código de Obras do Estado do Rio Grande do Norte. Através da tabela apresentada foi possível perceber que nenhum dos sistemas de combate a incêndio obteve conformidade em sua totalidade.

Portanto, devido à similaridade nos projetos, os erros analisados nos prédios em estudo serão repetidos na construção de prédios em diferentes locais da instituição. Então, para evitar futuros problemas, torna-se indispensável à revisão dos sistemas de combate ao incêndio executados na universidade.

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

O sistema de combate ao incêndio é um recurso utilizado nos prédios, empresas e Universidades, objetivando a segurança dos usuários e diminuindo as perdas materiais nos casos de emergências. Neste trabalho, foram analisados os critérios básicos e primordiais para a correta aplicação dos materiais de combate ao incêndio nas edificações de uma Instituição de Ensino Superior.

Foi realizada uma análise de conformidade dos materiais de combate ao incêndio presentes nas edificações da UFERSA e, através dos projetos de instalações de incêndio, foi possível perceber a situação de risco que os prédios se encontram.

Verificou-se que na execução dos sistemas de combate ao incêndio não foram seguidas as normas impostas pelo Código de Obras do Rio Grande do Norte. Logo, foi diagnosticado que os equipamentos de combate ao incêndio apresentam irregularidades nas suas especificidades, invalidando o seu uso em situações de emergências. Dentre os equipamentos mais prejudicados, estão os extintores, hidrantes e iluminações de emergências.

As sinalizações de emergências não foram elaboradas conforme a NBR 13434-1 e as saídas de emergências não foram feitas com os materiais específicos. Esses erros são determinantes na eficiência do combate ao fogo em uma situação de perigo.

Portanto, é de fundamental importância que o Corpo de Bombeiros exija da Universidade a execução do projeto de instalações de incêndio conforme as normas estabelecidas pelo Código de Obras do Rio Grande do Norte. A elaboração dos projetos de prevenção e combate ao incêndio é um processo que deve ser realizado com bastante eficiência, a fim de proporcionar o salvamento de maior número de vidas possíveis em casos de incêndio.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ARAÚJO, C. H; GUBEROVICH, A. T. Iluminação de emergência. In: SEITO, A. I. (Org). A segurança contra incêndio no Brasil. São Paulo: Projeto Editora, 2008. p. 215-221.

ARRUDA, Paulo Ribeiro de. Iluminação e instalações elétricas. 2ª Ed. São Paulo: Guaíra, s.d.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 12693: sistemas de proteção por extintores de incêndio: procedimento. Rio de Janeiro, 2010.22p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Normas do Comitê Brasileiro 24 – Segurança Contra Incêndio.

BRASIL. Ministério do Trabalho e Emprego. Norma Regulamentadora n° 23 – Proteção Contra Incêndios; Brasília, DF, 2011. 1 p.

DEL CARLO, U.; ALMIRON, H. A.; PEREIRA, W. Sistemas de proteção por extintores portáteis de incêndio. In: SEITO, A. I. (Org). A segurança contra incêndio no Brasil. São Paulo: Projeto Editora, 2008. p. 223-231.

DIAS DE MORAES, P. Projeto de edificações visando à segurança contra incêndio. In: ENCONTRO BRASILEIRO EM MADEIRAS E EM ESTRUTURAS DE MADEIRA, 10, 2006, São Pedro. Anais… São Pedro: UNESP, Centro Virtual de Pesquisa em Madeira, 2006. 11p. p. 1-5.

GILL, A. A.; NEGRISOLO, W.; OLIVEIRA, S. A. Aprendendo com os grande incêndios. In: SEITO, A. I. (Org). A segurança contra incêndio no Brasil. São Paulo: Projeto Editora, 2008. p. 19-33.

GOMES, Ary Gonçalves. Sistemas de Prevenção Contra Incêndios. São Paulo: Ed. Interciência, 1998.

MONTEIRO, S. D. Análise de Risco de Incêndio Aplicada ao Centro Histórico de Cuiabá. 2010. 45 f. Monografia (Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho), Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2010.

OLIVEIRA, L. H.; GONÇALVES, O. M.; GUIMARÃES, A. P. Sistemas de combate a incêndio com água. In: SEITO, A. I. (Org). A segurança contra incêndio no Brasil. São Paulo: Projeto Editora, 2008. p. 233-255.

PEREIRA, Áderson G.; POPOVIC, Raphael R. Tecnologia em Segurança contra Incêndio. São Paulo: LTr, 2007.

PIOLLI, O. J. Sistemas Fixos de Combate a Incêndio. 2003. 93 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Civil Com Ênfase Ambiental), Universidade Anhembi Morumbi, São Paulo, 2003.

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros. Manual de Fundamentos de Bombeiros, 30.nov.96

SCHRADER, F. T. Avaliação pós-ocupacional em edifício escolar com enfoque nas instalações de segurança contra incêndio e pânico. 2010. 65 f. Monografia (Especialista em Engenharia de Segurança do Trabalho) – Departamento de Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2010.

SECCO, Cel. Orlando. Manual de Prevenção e Combate de Incêndio. 3ª Ed. Volume II: São Paulo, 1982.

SEITO, Alexandre et al. A segurança contra incêndio no Brasil. São Paulo: Projeto Editora, 2008.

SEITO, A. I. Fundamentos de fogo e incêndio. In: ______.A segurança contra incêndio no Brasil. São Paulo: Projeto Editora, 2008, Cap. IV, p. 35-54.

______. A segurança contra incêndio no Brasil. In: SEITO, A. I.(Org). A segurança contra incêndio no Brasil. São Paulo: Projeto Editora, 2008. p. 9-17.

______. NBR 10897: sistemas de proteção contra incêndio por chuveiros automáticos – requisitos. Rio de Janeiro, 2008. 108p.

______. NBR 10898: sistema de iluminação de emergência. Rio de Janeiro, 1999.24p.

______. NBR 13434-1: sinalização de segurança contra incêndio e pânico – parte 1:princípios de projeto. Rio de Janeiro, 2004. 15p.

______. NBR 13434-2: sinalização de segurança contra incêndio e pânico – parte 2: símbolos e suas formas, dimensões e cores. Rio de Janeiro, 2004. 23p.

______. NBR 13714: sistemas de hidrantes e mangotinhos para combate a incêndio. Rio de Janeiro, 2000. 25p.

______. NBR 14100: proteção contra incêndio – símbolos gráficos para projeto. Rio de Janeiro, 1998. 18p.

______. NBR 17240: sistemas de detecção e alarme de incêndio – projeto, instalação, comissionamento e manutenção de sistemas de detecção e alarme de incêndio – requisitos. Rio de Janeiro, 2010.54p.

______. NBR 6135: chuveiros automáticos para extinção de incêndio: especificação. Rio de Janeiro, 1992. 6p.

______. NBR 9077: saídas de emergência em edifícios. Rio de Janeiro, 2001. 36p.

 

 

 

 

 

 

Post Author: partes