Formação de professores para o ensino de Matemática

Jonatha Daniel dos Santos[*]

Jonatha Daniel dos Santos – Mestre em Educação em Ciências e Matemática pelo Programa de Pós-Graduação da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUCRS. Graduado em Matemática. Pesquisador do Grupo de Pesquisa em Educação na Amazônia – GPEA, e do Grupo de Estudos e Pesquisa em Etnomatemática –PUCRS.

Resumo: Este texto aborda, sucintamente, a formação dos professores de matemática para atuarem na Educação Básica (Fundamental II e Ensino Médio). No entanto, as discussões apresentadas são de cunho teórico levando em consideração os diálogos realizados durante o processo de formação inicial no Curso de Matemática ao qual me inseria e que, veio a se constituir em uma pesquisa de Conclusão de Curso que abrangia a redução da carga horário nas disciplinas de matemática e o posicionamento dos professores e professoras ministrantes deste componente curricular.

Palavras-Chave: Formação de Professores, Ensino de Matemática, Processo de Ensino e Aprendizagem, Profissão Docente.

Abstract: This paper discusses briefly the training of mathematics teachers to work in Basic Education (Primary and Secondary Education II). However, the discussions presented are theoretical, taking into account the dialogue conducted during the initial training in Mathematics Course which inserted me and that came to constitute a Course Completion research covering reducing load time in math and the position of teachers and ministering teachers of this curriculum component.

Keywords: Teacher Education. Mathematics Teaching. Process of Teaching and Learning. Teaching Profession.

Formação docente, profissão docente: Professor de Matemática

 

Segundo Tardif: o saber dos professores é o saber deles e está relacionado com a pessoa e a identidade deles, com a sua experiência de vida e com a sua história profissional, com as suas relações com aos alunos em sala de aula e com os outros atores escolares na escola, etc. (TARDIF, 2002, p.11). É com base nos escritos de Tardif que proponho esta discussão em torno da formação dos professores e professoras que ensinam Matemática.

Atualmente a formação dos educadores e educadoras, atuantes na área de matemática, divergem da real situação encontrada na educação básica no Brasil. Estes dados estão ressaltados em discursos onde é analisada a prática docente, sob a ótica do educador. As afirmações existentes nas falas dos professores e professoras da disciplina de matemática demonstram que a educação atual não visa um ensino diversificado, bem como não propicia aos estudantes inseridos neste processo, abrangerem suas aptidões no campo pessoal e/ou profissional.

Há de se levar em consideração que os docentes atuantes na área de matemática, em sua grande maioria, buscam desenvolver atividades que proporcionam melhorias em sua prática docente por meio da formação continuada. Neste sentido, Albuquerque e Souki (2011) ressaltam que as mudanças no fazer educativo devem proporcionar aos educadores e educadoras o reconhecimento de sua prática docente, bem como a apropriação de novas formas de intervenção no ambiente escolar.

Estas intervenções diversificam o processo de ensino e aprendizagem, facilitando o desenvolvimento dos estudantes inseridos neste processo. Assim os autores supracitados, ratificam a necessidade dos docentes em

Reinventar a si mesmo como pessoas e profissionais da educação. Isto é um indicativo de que os educadores precisam não apenas colocar em questão, o reinventar suas práticas educativas, no sentido de repensar suas atitudes, concepções, métodos e conhecimentos sobre o processo de aprendizagem do discente, como também reinventar suas relações profissionais que começa com a observação de sua postura em relação ao outro. (ALBUQUERQUE E SOUKI, 2011, p.1)

Seguindo estes preceitos, Maciel (2004) ratifica a necessidade do docente em compreender a formação de seus educandos como uma implicação de novas formas de intervenção, acarretando o desencadeamento de novas práticas educativas. Estas intervenções descritas estão correlacionadas aos métodos de ensino abordado pelo educador e educadora da área de matemática, onde as mesmas podem ocorrer por meio de jogos, idealizações dos conceitos inerentes a abordagem histórica relacionada aos conteúdos expostos no contexto escolar, tendo em vista que estes conceitos estão explícitos no cotidiano dos estudantes.

Deste modo, a formação continuada de professores e professoras, evidencia a melhoria na sua prática docente, uma vez que a sua importância abrange melhorias em seu desenvolvimento profissional e interação escolar. Neste sentido Duarte e Mesquita (2011, p.2) ressaltam que o

[…] educador matemático tende a conceber a matemática como um meio ou instrumento importante à formação intelectual do educando, ou seja, o educador matemático tende a minimizar a dicotomia que existe entre educação e matemática.

Esta relação existente entre educação e matemática, especificamente na prática docente, está diretamente correlacionada à profissionalização do docente através dos métodos abordados pelo mesmo, tendo em vista que o saber propriamente dito não direciona a prática deste educador e/ou educadora no processo de ensino e aprendizagem.

Estas problemáticas estão diretamente vinculadas ao processo de formação inicial dos docentes da área de matemática, uma vez que este processo compreende a abordagem metodológica que o educador e/ou educadora aborda em suas exemplificações na sala de aula. De acordo com Oliveira (2011, p.2) a formação inicial de professores e professoras

[…] deve ser o foco central, encampando os conhecimentos específicos, pedagógicos e pedagógico do conteúdo […] Em muitos casos a disciplina de Prática de Ensino, resume-se a discussões em sala de aula sobre o uso de materiais didáticos, metodologias de ensino e apresentação de seminários, sem que estejam necessariamente articuladas ao conjunto restante de disciplinas de formação específica e/ou pedagógica.

Deste modo, cabe ao orientador deste futuro docente proporcionar discussões, bem como atividades que demonstrem ao discente, do curso de Licenciatura em Matemática, as reais situações que se encontra a educação básica atualmente. Neste sentido, Oliveira (2011) retoma a discussão evidenciando que a formação deste futuro educador não deve se restringir ao “conhecimento da sua disciplina ou área de estudo, mas que se relaciona ao contexto de trabalho em que deverá atuar”.

Em decorrência deste processo de formação, especificamente nos cursos de graduação, são expostos diversos componentes curriculares que elucidam a especificidade do curso, bem como o bom desenvolvimento do profissional da educação. Contudo, ao término do curso, surgem diversas questões que suscitam seu aprendizado enquanto acadêmico.

Estas questões estão relacionadas ao desenvolvimento profissional do docente, uma vez que a falta de metodologias de ensino não viabilize a socialização dos conteúdos com o contexto que os estudantes estão inseridos, tendo em vista que a formação inicial nem sempre prepara o futuro educador e educadora pra a realidade presenciada em sala de aula.

Deste modo, Souza (2011, p.02) ressalta que “a atividade de ensino ou atividade de aprendizagem deve permitir aos envolvidos no processo, aprender a pensar criando conceitos num movimento semelhante ao da dinâmica da criação conceitual na história do conceito.”

Breves Considerações

Diante do que foi exposto, observa-se que os educadores possuem como eixo, os discursos relacionados às competências de práticas de ensino que possam viabilizar uma nova estrutura a partir da identidade do aluno, ou seja, “uma grande mudança e que implica um novo pensar, uma prática com um novo conteúdo, novos conhecimentos, novas formações, novas formas de intervenção” (MACIEL, 2004, p.98).

A temática analisada nos métodos de ensino “ressalta a importância de considerar os professores como sujeitos que possuem, utilizam e produzem saberes específicos no desempenho de suas funções” (CELESTINO 2011, p.2). Nesta perspectiva, o docente compreende seu papel de educador, promove autonomia no aluno e desenvolvem nos mesmos, competências para analisar a sociedade.

Referências:

ALBUQUERQUE, Cícera Maria Gomes de ; SOUKI, Fadhia Gonçalves El. A prática docente: O Ensinar e Aprender. Disponível em:http://www.nead umama.br/ site/bibdigital/pdf/artigos_revistas/119.pdf. Acessado em Janeiro de 2011.

CELESTINO, Marcos Roberto. A formação de professores e a sociedade moderna. Disponível em: http://portal.uninove.br/marketing/cope/pdfs _revistas /dialogia/dialogia_v5/dialogv5_4d10.pdf. Acessado em Abril de 2011.

DUARTE, MarieneHelena ;MESQUITA, M. G. B. de Freitas. Formação Continuada de Professores de Matemática: Uma Extensão Válida. Disponível em: http://www.proec.ufla.br/conex/ivconex/arquivos/trabalhos/a119.pdf. Acessado em Janeiro de 2011.

MACIEL, L. S. Bomura. A formação do professor pela pesquisa: ações e reflexões: In Maciel, LizeteShizueBomura, Neto, Alexandre Shigunou. São Paulo. Cortez. 2004.

OLIVEIRA, Maria Cristina Araújo de.Possibilidades de construção do conhecimento pedagógico do conteúdo na formação inicial de professores de matemática. Disponível em:www.anped.org.br/reunioes/28/textos/gt08/gt0 8356int.r tf.  Acessado em Abril de 2011.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

[*] Mestre em Educação em Ciências e Matemática pelo Programa de Pós-Graduação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUCRS. Graduado em Matemática. Pesquisador do Grupo de Pesquisa em Educação na Amazônia – GPEA, e do Grupo de Estudos e Pesquisa em Etnomatemática – GEPE PUCRS.

Post Author: partes