Como incorporar o uso de mídias na escola – o surreal no virtual

COMO INCORPORAR O USO DE MÍDIAS NA ESCOLAO Surreal no Virtual

 

 

Eunice Costa de Moura*

Eunice Costa de Moura graduada em Licenciatura em Artes Visuais pela Universidade Federal do Amapá – UNIFAP. Atualmente docente do ensino fundamental II, Educação de Jovens, Ensino Médio EJA com a disciplina Arte. Email: eunice_moura@oi.com.br

Resumo

Este trabalho é o resultado de uma pesquisa feita na Escola Estadual profª Helenise Walmira Dias dos Santos, no município Macapá-AP, que procurou investigar como as mídias influenciam na aprendizagem da disciplina Arte e como os alunos estão utilizando-as em sala. Para isso, foi feito um questionário com perguntas direcionadas ao uso das tecnologias e o ensino de Arte. E, ao final, comprovou-se que o uso das mídias proporciona aos alunos o despertar para a criatividade e o senso crítico quanto aos assuntos relacionados ao Surrealismo.

Palavra-chave: Mídias, Aprendizagem, Alunos, Arte

 

            This work is the result of a research done at Escola Estadual Profª. Helenise Walmira Dias dos Santos, on the local district of Macapá-AP, that aimed to investigate how the medias influence on apprenticeship of Art subject and how the students use them. To do so, a questionnaire was developed with questions about the use of technologies in the Art’s teaching. In the end, it was confirmed that the use of medias provide the students the drum up for creativity and critical sense about the subjects related to Surrealism.

         Key-words: Medias. Apprenticeship. Students. Art.

Introdução

O trabalho realizado na  Escola Estadual profª Helenise Walmira Dias dos Santos,  situada no município de Macapá – AP, procurou investigar como as mídias influenciam positivamente na aprendizagem da disciplina Arte e como os alunos estão convivendo com as novas tecnologias em relação a educação. Para isso, foi realizado um questionário com perguntas direcionadas ao uso das tecnologias e o ensino de Arte. O estudo visa dinamizar as aulas de Arte partindo das respostas obtidas pelos alunos que consideram a aprendizagem com a utilização das tecnologias mais motivadora, favorecendo para um despertar da criatividade e contribuindo para as produções dos alunos.

Este estudo justifica-se pela necessidade de utilização das mídias nas aulas de Arte, favorecendo para um desenvolvimento da aprendizagem, despertando interesse e a criatividade com o uso de recursos variados, onde o aluno tem a oportunidade de conhecer através das tecnologias os tipos de linguagens da Arte.

Propõe-se que os professores de Arte intensifiquem as aulas com o uso das tecnologias, dando a oportunidade aos alunos de conhecerem a diversidade das linguagens, presente em todos os lugares, possibilitando um amplo conhecimento dos mais variados conteúdos.

Metodologia

A metodologia usada nessa pesquisa-ação foi uma análise no ensino da arte de como a utilização das mídias favorecem para uma aprendizagem significativa, valorizando os recursos tecnológicos e intensificando o seu uso, despertando a criatividade e sensibilidade dos alunos, que vivenciam a utilização das novas tecnologias e para fortalecer a aprendizagem esse contato em sala de aula precisa estar presente na construção dos conhecimentos.

Quando lemos imagens – de qualquer tipo, sejam pintadas, esculpidas, fotografadas, edificadas ou encenadas –, atribuímos a elas o caráter temporal da narrativa. Ampliamos o que é limitado por uma moldura para um antes e um depois e, por meio da arte de narrar histórias (sejam de amor ou de ódio), conferimos à imagem imutável uma vida infinita e inesgotável. (MANGUEL apud FONSECA 2001, p113).

A arte utiliza-se de várias linguagens, e, na visual, utiliza-se dos elementos da composição plástica, onde juntamente com a criatividade e imaginação desvenda uma criação que expressa sentimentos, emoções, angústias, sonhos e realidade, de momentos reais ou imaginários.

A história da arte está diretamente ligada à própria história da humanidade, quando esta proporciona ao homem um enriquecimento de suas experiências, uma forma de fantasiar acerca dos aspectos mais corriqueiros e cotidianos, e de estimular a vida de outros por meio das características e singularidades presentes em uma obra desenvolvida, o que faz com que a arte seja uma ferramenta indispensável para a vida dos homens. (FISCHER apud CUNHA FILHO e ALMEIDA, ano 2012, p.4).

O estudo foi feito na Escola Estadual Profª Helenise Walmira Dias dos Santos na cidade de Macapá – AP, localizada na Rodovia AP 20, linha B. A escola situa-se no limite entre a zona urbana e a zona rural de Macapá, com alunos de várias classes sociais, e com a perspectiva de dar oportunidade de incluir nas aulas de arte as tecnologias que nos rodeiam a cada momento como: fotos, gravuras, música. Foi elaborado um questionário com perguntas sobre o tema mídias e educação, voltado para os alunos de 8º e 9º anos, compreendendo que as respostas dos alunos favorecem para a elaboração de um trabalho envolvendo os mesmos com as mídias.

Discussão

Conforme a pesquisa, a maioria dos alunos conhecem as novas tecnologias, porém, a utilização está mais voltada às redes sociais e à diversão pessoal como: baixar músicas, filmes e jogos. Em relação aos conhecimentos principalmente na disciplina de Arte, o avanço tecnológico é de suma importância, a experiência com as mídias favorece para um desenvolvimento intelectual e criativo, o qual é essencial para o mercado de trabalho.

 A linguagem visual e as mídias estão presentes no nosso dia-a-dia, induzindo a uma reflexão/interpretação que estão presentes na nossa vida, incluindo-nos a um universo de símbolos, formas, imagens e sons, invadindo nossas vidas, transformando nossos pensamentos e ações, através de interpretações variadas.

 A arte cria linguagens fazendo com que o homem faça uma reflexão de tudo ao seu redor, onde mente e coração se relacionam num contexto poético, que podem ser inventadas e transformadas numa capacidade de criar signos e suas representações, na integração arte e estética, intensificando a sensibilidade e imaginação, onde os signos artísticos tem significados diferentes, o objeto artístico é uma metáfora, que nos remete a questionamentos  e entendimentos conforme o nosso cotidiano.( MARTINS, PICOSQUE e GUERRA, 2010, p 35)

Ao passar um documentário sobre Salvador Dali, artista que se destaca no movimento Surrealista, de maneiras diferentes e inusitadas, os alunos do 8º e 9º ano ficaram admirados com tais imagens que despertaram no observador uma inquietação, um olhar diferente. Analisando cada imagem de forma individual, todos queriam falar sobre o que estavam vendo e ficaram entusiasmados em produzirem trabalhos surrealistas, usando desenhos, pinturas ou colagem. O surreal no virtual favorece aos alunos um despertar da criatividade, envolve imagens do subconsciente, desenvolve um pensamento crítico. As primeiras imagens vistas pelos alunos causou espanto, risos e posteriormente surgiu a curiosidade, onde através da pesquisa de imagens na internet, houve um envolvimento, favorecendo para uma composição com imagens inusitadas e formas criadas através da imaginação.

Uma aluna do 9º ano comentou que nunca tinha visto esse tipo de arte, as imagens que observou lhe trouxeram vários questionamentos e ideias, e observou que várias formas são absurdas e que a criatividade humana não tem limites.

A arte Moderna surge com um novo sentido, rompendo as formas clássicas e tradicionais, com novos temas e a introdução de expressões antigas com novas formas de expressão, contribuindo para uma mudança no cenário artístico, dificultando a existência de um único estilo nas obras de arte.

O surrealismo surge, pois, dentro desse período conturbado, dentro de uma crise de valores que propiciará o aparecimento das vanguardas, como manifestação máxima da angústia humana levada à exasperação e como revolta anárquica contra esse estado de coisas”. (GOMES apud HELLMANN, 2012, p.120).

A arte evolui paralelamente com o homem, e sua produção mesmo inspirada em formas da natureza, deforma-se ao passar pelas mãos humanas, criando assim novas formas; “as formas humanas” são as linguagens específicas, que relacionam cores e formas que articuladas pelo artista criam um novo contexto. As composições foram criadas através de desenhos imaginários e pinturas, havendo também montagem com recorte e colagem de figuras surreais, formando novas imagens.

A vida só parecia digna de ser vivida quando se dissolvia a fronteira entre o sono e a vigília, permitindo a passagem em massa de figuras ondulantes, e a linguagem só parecia autêntica quando som e a imagem, e a imagem e o som, se interpenetravam, com exatidão automática, de forma tão feliz que não sobrava a mínima fresta para inserir a pequena moeda a que chamamos sentido. (BENJAMIN apud HELLMAN, 2012, p.119).

A linguagem está presente na nossa realidade, através dos sistemas simbólicos, onde convivemos com variedades de símbolos, sendo essencial na nossa comunicação e interação com o mundo, onde vivenciamos a leitura e produção de linguagens (sistemas de signos). Com a utilização das mídias no processo de aprendizagem, os alunos tiveram a oportunidade de observarem as variedades de formas de comunicação, vivenciando através da prática a construção de conhecimentos.

Conclusões

O trabalho envolvendo as mídias despertou nos alunos uma motivação, favorecendo para a aprendizagem, com criatividade e envolvendo procedimentos como: observação, planejamento, composição e atitudes voltadas a sensibilidade e a poesia.

As mídias favoreceram para a compreensão do assunto surrealismo, nas aulas de Arte, os alunos observaram as imagens do documentário sobre o artista Salvador Dali, pesquisaram na internet sobre outros artistas do movimento surrealista e fizeram composições surrealistas, fotografaram suas imagens e se sentiram participantes desse Movimento Artístico tão importante que surgiu num período conturbado da história, onde o artista trabalha as emoções e angústias daquele período. As aulas com a utilização das Mídias despertaram nos alunos o senso crítico e a criatividade.

Referências

CUNHA FILHO, F. H.; ALMEIDA, Saulo Nunes de Carvalho. A evolução histórica da arte e o processo de regulamentação jurídica do trabalho artístico. Sistema Jurídico e Direitos Fundamentais Individuais e Coletivos. XXI ed.Uberlândia: CONPEDI, 2012, v., p. 8004-8033.

GONÇALVES, Suzana de Oliveira. O ensino da arte e as imagens midiáticas. Criciúma, 2010.

HELLMAN, Risolete Maria. A trajetória da Arte Surrealista. Revista NUPEM, Campo Mourão, v. 4, n. 6, jan./jul. 2012

MARTINS, Mirian Celeste Ferreira Dias; PICOSQUE Giselda Maria; GUERRA Maria Terezinha Telles. Teoria e Prática do Ensino de Arte: a língua do mundo, São Paulo: FTD, 2010 – (ColVerdanaeção teoria e prática)

*Eunice Costa de Moura graduada em Licenciatura em Artes Visuais pela Universidade Federal do Amapá – UNIFAP. Atualmente docente do ensino fundamental II, Educação de Jovens, Ensino Médio EJA  com a disciplina Arte. Email: eunice_moura@oi.com.br

 

Post Author: partes