Geloteca: fome de leitura na alfabetização

GELOTECA: FOME DE LEITURA NA ALFABETIZAÇÃO

 

Valdecira Aparecida da Silva Moreira[[i]]

Valdicéia de Cássia da Silva Balbinot [ii]]                                            

Valdecira Aparecida da Silva Moreira – Pedagoga, Especialista em Gestão Escolar; Métodos e Técnica em Ensino; Mídias na Educação; Pós-graduada em Educação de Jovens e adultos na Diversidade e Inclusão Social – Supervisora da Escola 16 de Junho Colorado do Oeste- Rondônia,, valdeciracolorado@hotmail.com

RESUMO: O presente artigo tem por objetivo socializar, pesquisas bibliográficas e ações, procedimentos didáticos de sucesso, nas turmas de alfabetização no ano de 2016, em uma escola pública no Município de Colorado do Oeste-Rondônia. As ações descritas neste trabalho despertaram habilidades relacionadas à competência leitora, por meio do Projeto Geloteca: ”fome de leitura na alfabetização”. Constatou-se que quando a criança é motivada a ler, o hábito da leitura passa a ser algo natural, espontâneo.

Palavras Chave:  Leitura. Alfabetização. Aprendizagem. Habilidade.

 

ABSTRACT: The present article aims to socialize, bibliographical research and actions, didactic procedures of success, in the literacy classes in the year 2016, in a public school in the Municipality of Colorado do Oeste-Rondônia. The actions described in this work awakened skills related to reading competence, through the Geloteca Project: “reading hunger in literacy”. It was found that when the child is motivated to read, the habit of reading becomes something natural, spontaneous.

 

Keywords: Reading. Literacy. Learning. Ability.

 

Introdução

As ações do Projeto Geloteca: ”Fome de leitura na alfabetização”, foram desenvolvidas em uma Escola pública Estadual, do município de Colorado do Oeste – RO e abrangeu no ano de 2016, cinco turmas de 3º ano, contemplando 116 (cento e dezesseis) alunos. Justifica-se na busca por alternativas que despertem a vontade de ler. Ele decorreu da motivação das professoras, em encaminhamentos e orientações advindas da necessidade de cumprir com a meta do Projeto Político Pedagógico da Escola. (Despertar o prazer pela leitura, formar alunos leitores)

Inicialmente poucos alunos gostavam de ler, liam apenas por obrigação. Diante desta problemática nasceu à ideia da construção de uma biblioteca itinerante ou geloteca na escola, atividade com foco no despertar do prazer pela leitura. No principio as professoras, trouxeram a sugestão para a equipe gestora, e juntos foram criando estratégias de aprendizagem.

Valdicéia de Cássia da Silva Balbinot – Professora Nível III/ Secretaria Municipal de Colorado-RO, licenciada em Química/UNIR. Especialização: Mídias na Educação/UNIR; Gestão Supervisão e Orientação Escolar/FAIPE; Educação Infantil e Alfabetização/ FAIPE. Cursando 8º semestre em licenciatura – Pedagogia/FAEL valdiceia_balbinot@hotmail.com

A professora do 3º ano pensou em uma geladeira velha, que pudesse ser reutilizada, aditivada, com motivos que despertasse a vontade de ler, a equipe analisou a sugestão e percebeu que quando temos fome, procuramos comida na geladeira, e se a ideia era formar alunos com fome de leitura, nada melhor do que uma geladeira recheada de livros, incríveis, prontos para serem lidos pelos alunos e comunidade, pois o mesmo seria uma espécie de biblioteca no pátio da escola, podendo ser utilizado na hora do recreio e ou e finais de semana por qualquer pessoa da comunidade local, as ideia foram surgindo e as ações prosseguiram, foi quando se pensou em ampliar as ações.

Organizou-se cesta de livros e os alunos, professoras e equipe gestora foram em lugares estratégicos tais como: feira, da cidade e parquinho da rodoviária com o intuito de motivar o maior número de pessoas possíveis a lerem, criando assim uma forma de biblioteca itinerante na cidade.

Ressalta-se que as ações acima descritas provocaram mudanças qualitativas notáveis nos alunos, pois para lerem na feira, no parque e na rodoviária precisavam ler fluentemente, fato que os levou, a ler vários livros, em pouco tempo, pois assim poderiam fazer certa resenha, recomendando a obra para os possíveis leitores da roda de leitura.

Mudou-se o hábito no recreio, promovendo o fim da correria normalmente fato que levava a vários incidentes de alunos que se machucavam no corre, corre das brincadeiras. Levando os alunos por meio das ações do projeto Geloteca: ”Fome de leitura na alfabetização” a se dedicarem a leitura na hora do recreio, percebendo-se que cada nova obra literária disponibilizada era uma festa para os alunos.

Fundamentação teórica           

A leitura abre porta para o mundo da imaginação, principalmente na fase de alfabetização, amplia o vocabulário dos alunos, propicia embasamento para o diálogo, melhora consideravelmente a capacidade de interpretação e produção de texto. Segundo Tabosa e Pereira (2012): É notório que grandes ainda são os obstáculos a serem enfrentados, desde a falta de bibliotecas nas escolas públicas, o alto índice de analfabetismo, a falta da cultura.

Para os autores a leitura é essencial para o exercício da cidadania plena, eles defendem que projetos de leitura viabilizados por bibliotecas móveis, contribuem para a formação de leitores, à medida que permitem o acesso à informação dentro da própria comunidade, na qual o cidadão está inserido, ampliando os horizontes do conhecimento.

O Instituto Pró-Livro divulgou em 2010 que o brasileiro não gosta de ler, preferi assistir televisão ou ouvir música. O Projeto Geloteca: ”Fome de leitura na alfabetização”, busca reverter esta realidade, provando por meio de ações simples que e possível despertar hábito de leitura, principalmente quando motivado no período de alfabetização. Para Tabosa e   Pereira (2012)

A biblioteca deve ser ativa, viva, alegre, atuante, integrada à sociedade, democrática e participativa, contudo para que isto de fato ocorra, é fundamental derrubar tabus e mitos de que o livro é algo para ser guardado, preservado, imaculado. (TABOSA e PEREIRA,2012 p.3)

Aos alunos quando lhes és dado a liberdade de escolha para lerem sem cobrança, nos momentos mais inesperados tais como no horário do recreio, ou nos finais de semana em pontos escolhidos estrategicamente, a leitura flui como algo natural, os alunos se envolvem na brincadeira de ler, sem perceber a leitura vir rotina, começa a fazer parte do dia a dia das crianças, como necessidade e não como obrigação.

Sobre a importância da leitura nas escolas Cagliari (1994, p.25), escreve que o objetivo fundamental da escola é desenvolver a leitura para que o aluno se saia bem em todas as disciplinas.

Cagliari (2004) defende que: ao aprender ler na fase de alfabetização os alunos, tem uma nova visão de mundo, facilitando assim a aprendizagem dos demais componentes curriculares. O autor defende ainda que o segredo da alfabetização é a leitura. Alfabetizar é, na sua essência, ensinar alguém a ler, ou seja, a decifrar a escrita. Escrever é em decorrência desse conhecimento e não o inverso.

Segundo Dutra (2011), ler é uma das competências mais importantes a serem trabalhadas com o aluno, principalmente após recentes pesquisas que apontam ser esta uma das principais deficiências do estudante brasileiro. Uma leitura de qualidade representa a oportunidade de ampliar a visão do mundo. Através do hábito da leitura o homem pode tomar consciência das suas necessidades, promovendo assim a sua transformação e a do mundo.

 

Geloteca: fome de leitura na alfabetização: práticas pedagógicas

O objetivo no início do trabalho era desenvolver ações metodológicas que despertassem o prazer pela leitura, envolvendo os alunos do 3º ano e comunidade local. Visando conscientizá-los quanto à importância da prática da leitura. O tema leitura, foco principal gerador, aplicado nas práticas pedagógicas alicerçou o caminho para alfabetizar despertando habilidades adormecidas, nos alunos e comunidade local.

No desenvolvimento do projeto recorreu-se a materiais impressos, livros e revista, bem como campanhas de doações de livros de literatura infantil por meio eletrônico, facebook da escola e em reuniões de pais. Os quais resultaram em arrecadações de mais de 600 (seiscentos) títulos de livros, incluindo gibis e literatura infantil, fato que proporcionou muita alegria aos alunos, motivando-os a querer participar de novos projetos de leitura.

Considerações finais 

Observou-se durante a realização do Projeto Geloteca: ”Fome de leitura na alfabetização”, a efetiva participação e envolvimento dos alunos nas atividades propostas, bem como o permanente acompanhamento e análise docente em relação ao desenvolvimento dos alunos, mediante acompanhamento da participação individual e coletiva.

Um aspecto importante no fazer docente é a metodologia utilizada, ao acreditar nas potencialidades do aluno, na aprendizagem construída passo a passo, com autonomia, o conhecimento foi surgindo naturalmente. O constante diálogo entre educando e educador favoreceu a avaliação e Autoavaliação das ações desenvolvidas.

A Geloteca, cumpriu com os objetivos propostos que era entre outros, a construção de uma biblioteca convidativa, alegre, dinâmica com aspecto democrático uma vez que ela foi construída mediante a doações da comunidade. Inicialmente a geladeira velha que vira um atrativo, para a leitura, seguido dos elementos de adesivação, e dos livros arrecadados por intermédio de solicitação em reuniões de pais e meios eletrônico (Facebook da escola)

A motivação para gostar e ler, deve começar na escola, o primeiro passo da escola consiste em assegurar um correto e adequado processo de iniciação à leitura. Leitura como prática sociocultural deve estar veiculada ao prazer de ler, portanto a criação de estratégias, parcerias entre o gestor, professores e pais nos projetos de leitura na alfabetização são extremamente viáveis e necessários.

Ressalta-se que as atividades extraclasse, visitas a locais estratégicos, com fins de promoção da leitura eram sempre agendados nos finais de semana e com as devidas autorizações dos pais.

 

REFERÊNCIAS

CAGLIARI, Luiz Carlos.  Alfabetização e linguística. 2. ed. São Paulo: Scipione, 1994.

DUTRA, Vânia L. R. Abordagem funcional da gramática na Escola Básica. Anais do VII Congresso Internacional da Abralin. Curitiba, 2011. Disponível em: www.abralin.org . Acesso em junho de 2017

GIACHINI, Adriana Maria et al., Projeto: Leitura na Escola. Xaxim, 2013. Disponível em: <http://tecnologiaempensamento.blogspot.com.br/…>. Acesso em: 09 agost. 2017

INSTITUTO PRÓ-LIVRO. Pesquisa Retratos da leitura. Disponível em: <http://www.prolivro.org.br/ipl/publier4.0/texto.asp?id=48>. Acesso em: 10//088/2017.

TABOSA, Hamilton Rodrigues e PEREIRA Fábio de Oliveira, Biblioteca itinerante: quando o cidadão não vai à biblioteca, ela vai até o cidadão-  DataGramaZero-Revista de Informação – v.13 n.4 ago/12 http://www.dgz.org.br/ago12/Art_06.htm

[[i]]Pedagoga, Especialista em Gestão Escolar; Métodos e Técnica em Ensino; Mídias na Educação; Pós-graduada em Educação de Jovens e adultos na Diversidade e Inclusão Social – Supervisora da Escola 16 de Junho Colorado do Oeste- Rondônia,,  valdeciracolorado@hotmail.com.

[[ii]]Professora, Professora Nível III/ Secretaria Municipal de Colorado-RO, licenciada em Química/UNIR. Especialização: Mídias na Educação/UNIR; Gestão Supervisão e Orientação Escolar/FAIPE; Educação Infantil e Alfabetização/ FAIPE.  Cursando 8º semestre em licenciatura – Pedagogia/FAEL valdiceia_balbinot@hotmail.com

Post Author: partes

3 thoughts on “Geloteca: fome de leitura na alfabetização

    Valdecira

    (01/09/2017 - 11:57)

    Orgulho ver nosso artigo publicado nesta revista.
    Obrigada Revista Partes.

    Escola 16 de Junho

    (04/09/2017 - 11:52)

    Muito bom este artigo, parabéns aos autores.

    JOSE DIAS

    (08/09/2017 - 11:17)

    Nossa que interessante, uma geladeira se transformar em biblioteca! Amei este artigo
    parabéns as autoras.

Comments are closed.