Cultura

Um amor suspenso

O quadro é idílico, uma imagem quase lírica de um amor casto entre dois jovens inexperientes. Seria assim se essa imagem não fosse retirada do livro “Na praia” (em inglês, On Chesil Beach), do escritor inglês Ian McEwan – também conhecido nos meios literários como “Ian Macabro”. Se alguém já teve a oportunidade de ler algum de seus livros a essa altura deve estar suspeitando de que existe algo mais por debaixo dessa cena aparentemente romântica, quase poética. E a suspeita, é claro, acaba se confirmando....
Continue a Leitura »
Crônicas

A rainha e a roleta russa

A RAINHA E A ROLETA RUSSA Margarete Hülsendeger Sabemos tantas cosas, que la aritmética es falsa, que uno más uno no siempre son uno sino dos o ninguno, nos sobra tiempo para hojear el álbum de agujeros, de ventanas cerradas, de cartas sin voz y sin perfume. Julio Cortázar O País das Maravilhas não é uma democracia. Ao contrário. É uma monarquia absolutista onde quem manda é uma mulher com um temperamento muito difícil. A monarca em questão chama-se Rainha de Copas. Apesar de só aparecer no final da história, ela é mencionada várias vezes, pois todos as personagens a temem. Quando, finalmente, ela surge percebe-se que havia razão em ter medo dela, pois trata-se de uma mulher autoritária,...
Continue a Leitura »
Crônicas

A lagarta azul

Na vida “real” existe algo semelhante a “Lagarta Azul”, o computador. Uma máquina capaz de processar uma quantidade incrível de informações com um simples toque dos dedos e que realiza cálculos em grande escala, desenhos industriais complexos, assim como quaisquer tipos de imagens gráficas. Além disso, um computador moderno pode nos propiciar acesso a todo tipo de entretenimento e atividades culturais. Na era da informática o Google tornou-se o nosso oráculo e nele conseguimos descobrir as respostas para quase todas as nossas perguntas....
Continue a Leitura »
Crônicas

Um chá maluco

Alguns estudiosos acreditam que Lewis Carrol, sendo um professor de matemática, teria, em muitas de suas histórias, feito referências a conceitos matemáticos. No caso do “Chá dos Loucos” pode-se, por exemplo, encontrar entre as várias frases aparentemente incoerentes do “Chapeleiro”, da “Lebre” e do “Arganaz” alusão ao que, na matemática, se denomina “relação inversa” – Não é nada a mesma coisa! (...) Ora, nesse caso também podias dizer que "Vejo o que como" é a mesma coisa que "Como o que vejo"! Assim, no fantástico “País das Maravilhas”, criado por Carrol, nada parece ser o que é. Algo aparentemente absurdo pode se transformar em um conceito matemático...
Continue a Leitura »
Crônicas

O gato que ri

Margarete Hülsendeger Si viéramos realmente el Universo, tal vez lo entenderíamos. Jorge Luis Borges Segundo o dicionário Houaiss, a expressão “entidade” é definida como sendo “aquilo que constitui a existência de algo real; essência”. Para os físicos muitos fenômenos são “entidades matemáticas”, ou seja, existem apenas na forma de equações complexas. Esse é o caso do que, na física quântica, se chama “função de onda”. Explicar, sem matemática, o que seria uma “função de onda” não é uma tarefa fácil. No entanto, de uma forma bastante simplificada pode-se dizer que a “função de onda” descreve as propriedades de qualquer sistema quântico. E aí se poderia perguntar: “o que é um sistema quântico?”. A resposta, igualmente simplificada, seria que se...
Continue a Leitura »
Crônicas

Alice e o Coelho

Existem teorias na física que parecem vindas direto da ficção. Há coisas tão loucas circulando pelas mentes dos cientistas que acreditaríamos que eles perderam completamente o juízo. Uma dessas ideias malucas é a “teoria dos multiversos”....
Continue a Leitura »
Crônicas

Sobre a fragilidade

Margarete Hülsendeger É que um morto ainda podemos enterrar. Mas o medo, isso não se pode enterrar. Mia Couto Eu não tinha ilusões. Era apenas uma questão de tempo: um dia eu seria mais um pontinho dentro da curva. No entanto, o estranho é que, como tantos outros antes de mim, acreditava estar protegida por algum tipo de “capa de invulnerabilidade”. De uma forma um pouco romântica – ou seria ingênua? –, ainda acreditava que as coisas ruins aconteciam com os outros, nunca comigo. Infelizmente, mais uma vez, essa ideia se comprovou falsa e por dias a desesperança, o medo e a ansiedade se alojaram na minha mente, tirando o meu equilíbrio e paz de espírito. Fui vítima de...
Continue a Leitura »
Crônicas

Os riscos de ser mulher

Margarete Hülsendeger As mulheres são um mundo de encanto e de silêncio… As mulheres são um mundo de silêncio e de segredo. Paulina Chiziane   Definitivamente, ser mulher não é uma tarefa fácil. Na juventude enfrenta-se, todos os meses, um conjunto de sintomas enlouquecedores chamado “transtorno pré-mestrual”, também conhecido pela sigla TPM. Além disso, enquanto a mulher é fértil, ela está em constante risco de engravidar (sim, porque ainda existem homens que se negam a usar preservativos e mulheres ingênuas que acreditam em príncipes encantados!), muitas vezes, em um momento indesejado. Quando, enfim, se tudo der certo, ela decide ter um bebê, sofre durante noves meses os incômodos (náuseas, fome descontrolada, aumento de peso…) de transportar uma nova vida...
Continue a Leitura »
Crônicas

Eletricidade e solidão

Margarete Hülsendeger É impossível ser feliz sozinho. Tom Jobim Ontem, se alguém me perguntasse, “Você tem medo da solidão?”, eu responderia sem pestanejar, “Não!”. Hoje, já não sei se a minha resposta seria a mesma. Motivo? O resultado de uma pesquisa realizada na Universidade da Virginia nos Estados Unidos. Pesquisadores colocaram voluntários sozinhos em salas completamente isoladas. Nenhum tipo de aparelho (celular, tablet ou notebook) foi permitido. As pessoas deveriam permanecer 15 minutos tendo como única companhia os seus pensamentos. Apenas um estímulo foi autorizado: apertar um botão que produziria um choque elétrico. A essa altura você deve estar pensando, “Que experiência boba! O quão difícil pode ser ficar 15 minutos completamente sozinho? Eu, com certeza, conseguiria”. Bem, informo...
Continue a Leitura »
Crônicas

Tédio engorda

Margarete Hülsendeger Se você sente tédio quando está sozinho é porque está em péssima companhia. Jean-Paul Sartre É sempre interessante (e até engraçado) ver a reação das pessoas quando confesso não assistir televisão. Elas, realmente, não conseguem processar o fato de que existem indivíduos (não apenas eu!) que não gostam desse tipo de entretenimento. E quando o assunto é novela, o choque é total: os olhos se abrem, o queixo cai e a pergunta é quase sempre a mesma: “Então, o que você faz para se distrair?”. Já houve uma vez que recebi um sermão sobre a “necessidade” de assistir aos programas oferecidos pelos nossos canais de TV (aberta ou fechada). Segundo essa pessoa, não acompanhá-los, de preferência diariamente,...
Continue a Leitura »
Crônicas

Os excessos do amor

Margarete Hülsendeger Todos vós, que amais o trabalho desenfreado (…), o vosso labor é maldição e desejo de esquecerdes quem sois. Friedrich Nietzsche Já dizia o poeta, “Tão bom morrer de amor! e continuar vivendo…”. Como tema de um poema essa ideia parece perfeita, mas amar com loucura não é uma prática das mais saudáveis. E não importa qual o objeto desse amor. Se não se consegue estabelecer alguns limites corre-se o risco de esquecer ou deixar de lado outras partes, igualmente importantes, da vida. Logo, em termos românticos, esse ideal de dedicar-se 24 horas do dia ao que se ama parece maravilhoso; no entanto, em geral, sentimentos desse tipo, independente do que os poetas possam dizer, acabam se...
Continue a Leitura »
Crônicas

Quando apenas sorrir não é suficiente

Margarete Hülsendeger   Tenho duas armas para lutar contra o desespero, a tristeza e até a morte: o riso a cavalo e o galope do sonho É com isso que enfrento essa dura e fascinante tarefa de viver. Ariano Suassuna Não há dia que não me espante com as pesquisas que andam sendo feitas nos laboratórios espalhados pelo mundo. E se elas dizem respeito ao comportamento humano mais espantosas me parecem. Seus resultados podem variar do inesperado até ao extremamente engraçado. E quando escrevo “engraçado”, estou falando de forma literal. Há pouco tempo, uma universidade localizada no sul da Califórnia, a Loma Linda University, divulgou a descoberta de um “remédio” que, segundo os pesquisadores, poderia reduzir consideravelmente o hormônio...
Continue a Leitura »
Crônicas

Eu sou as minhas crenças?

Margarete Hülsendeger O que um homem vê depende tanto daquilo que ele olha como daquilo que sua experiência visual-conceitual prévia o ensinou a ver. Thomas Kuhn   Irritação. Desconforto. Nervosismo. Impaciência. Se você pensou que essa era uma lista dos sintomas que caracterizam a TPM (tensão pré-menstrual), não estava errado. No entanto, esses também podem ser os sentimentos de uma pessoa que se vê diante de uma mudança de paradigma. Segundo o dicionário Houaiss, paradigma é “um exemplo que serve como modelo; padrão”. Para a Wikipédia, atual “oráculo da modernidade”, paradigma é “um pressuposto filosófico, matriz, ou seja, uma teoria, um conhecimento que origina o estudo de um campo científico; uma realização científica com métodos e valores que são...
Continue a Leitura »
Crônicas

Decisão consciente

Margarete Hülsendeger - Tem certeza, minha filha? – perguntou a mulher mais velha. - Tenho mãe – respondeu pela terceira vez. - Tens ideia do quanto a tua vida vai mudar? – e antes que a filha respondesse continuou – Noites sem dormir, uma preocupação constante, o tempo não vai mais te pertencer e nem vou falar da relação com o teu marido. Tudo muda e nem sempre é para melhor. - Chega, mãe! Pelo amor de Deus do jeito que tu falas parece que a maternidade é um inferno! – disse irritada a mulher mais moça. A mãe olhou firme para os olhos da filha e com um gesto carinhoso empurrou o cabelo para longe do seu rosto:...
Continue a Leitura »
Crônicas

O apocalipse é agora?

Margarete Hülsendeger O futuro, meu filho, é um país que não se pode visitar. Mia Couto (Contos do Nascer da Terra) Antes mesmo do início do novo ano as previsões sobre o que poderia ou não acontecer já tinham começado. E o cenário que se desenhava era o mais terrível possível. Tudo de pior estava fadado a ocorrer: mortes, guerras, doenças e, talvez, com alguma “sorte”, um evento natural de grandes proporções. Não vou negar que, ao ouvir sobre essas previsões, também acabei deixando-me levar por elas. Afinal, ao contrário de outros anos, em vez de uma atmosfera repleta de bons pensamentos ou boas energias, o que se percebia era um negativismo beirando ao fúnebre. A impressão geral era...
Continue a Leitura »
Crônicas

Bonitinho, mas…

Margarete Hülsendeger A beleza interessa nos primeiros quinze dias; e morre, em seguida, num insuportável tédio visual. Nelson Rodrigues Há algum tempo um amigo me encaminhou uma notícia – publicada no jornal espanhol El País – acreditando que ela talvez pudesse me interessar. A matéria, mesmo curta, tratava de um assunto que, na minha opinião, era um pouco assustador. Estou me referindo a uma nova “moda” chamada Bikini Bridge. Se você ainda não sabe o que essa expressão significa aqui vai um breve esclarecimento. Bikini Bridge (em português “ponte de biquíni”) iniciou como uma brincadeira quando entusiastas dessa “nova moda” começaram a compartilhar fotos nas redes sociais. Essa expressão se refere a como o biquíni fica apoiado apenas nos...
Continue a Leitura »
Crônicas

Guerra dos Sexos

Margarete Hülsendeger Talvez os sexos tenham mais afinidades do que se considera, e a grande renovação do mundo talvez venha a consistir no fato de que o homem e a mulher, libertados de todos os sentimentos equivocados e de todas as contrariedades, não se procurarão mais como adversários, mas como irmãos e vizinhos, unindo-se como seres humanos, para simplesmente suportar juntos, com seriedade e paciência, a difícil sexualidade que foi atribuída a eles. Rainer Maria Rilke (Cartas a um jovem poeta) O título, mesmo lembrando nome de novela, expressa um fato conhecido: homens e mulheres são diferentes. E quando digo diferentes estou me referindo a cérebros. Homens e mulheres são diferentes porque têm cérebros diferentes. E se alguém está...
Continue a Leitura »
Crônicas

O eterno conflito

  Margarete Hülsendeger           Vejo essa cruzada antirreligiosa que certos cientistas estão fazendo como uma completa perda de tempo, que não vai levar a nada e ignora o papel essencial que a religião tem na sociedade e em nossa cultura.     Marcelo Gleiser   Quando os deuses dominavam a terra, tudo era explicado levando em conta seus humores e desejos. Os raios e os trovões estavam associados a ira de Zeus, o deus dos deuses; a carruagem de Apolo era a responsável por fazer o Sol nascer e se por todos os dias; o sucesso das colheitas era atribuído a intervenção de Gaia, a deusa da Terra. Apenas por volta de 600 a.C., a partir de Tales...
Continue a Leitura »
Crônicas

Novos tempos, novos vícios

Margarete Hülsendeger Só depois que a tecnologia inventou o telefone, o telégrafo, a televisão, a internet, foi que se descobriu que o problema de comunicação mais sério era o de perto. Millôr Fernandes   “Eu amo tecnologia!” Reconheço ser uma deslumbrada quando o assunto é aparelhos eletrônicos. O que não significa que seja uma expert no seu uso. Ao contrário. Baixar novos aplicativos, por exemplo, ainda requer muito esforço, concentração e paciência da minha parte. Afinal, sou de uma geração que, como diz o ditado popular (e antigo), “Pegou o trem andando”. Essa “pequena” diferença de décadas me fez, acredito eu, imune a alguns efeitos colaterais. Um exemplo bem simples: não sinto necessidade de fotografar o meu almoço de...
Continue a Leitura »
Crônicas

Universo feito de papel

      Uma história, um romance, um conto – essas coisas assemelham-se a seres vivos, e talvez o sejam de fato. Elas têm sua cabeça, suas pernas, sua circulação sanguínea e sua roupa, como pessoas de verdade. Erich Kästner E se os personagens dos livros pudessem falar? E se eles pudessem dar ao seu criador o mesmo tratamento que receberam dele? Já imaginaram a loucura? Muita gente, com certeza, estaria em apuros. De qualquer maneira, essa situação um tanto quando surreal – e porque não dizer, apavorante! – já foi tema de alguns livros. Ou seja, escritores se colocaram no lugar de seus personagens experimentando – ou tentando experimentar – a sensação de ser manipulado e controlado por...
Continue a Leitura »