Crônicas

Assim deve ser o amor

ASSIM DEVE SER O AMOR Margarete Hülsendeger Talvez entre eu te amo e o amor propriamente dito haja um espaço intransponível. Talvez o tempo que passa. Mas não apenas. Talvez um inevitável desencontro. Essa incoerência. Carola Saavedra Inventário: “descrição detalhada do patrimônio de pessoa falecida, para que se possa proceder à partilha dos bens” ou “levantamento minucioso dos elementos de um todo; rol, lista, relação”. Ausente: “que ou quem se afastou temporariamente do lugar em que habita, que frequenta etc.” ou “que não se envolve, que não tem parte ativa em um relacionamento, em um grupo etc.; distante”. O primeiro, um substantivo, o segundo, um adjetivo, que, se combinados em uma mesma frase, podem gerar uma espécie de paradoxo....
Continue a Leitura »
Crônicas

Entre voos e quedas

ENTRE VOOS E QUEDAS Margarete Hülsendeger Nós lidamos mal com a morte, essa coisa banal, única; não conseguimos mais colocá-la num contexto mais amplo. Julian Barnes Todos, em algum momento, desenvolvemos estratégias para lidar com a morte. Alguns choram, outros permanecem em silêncio, há os que se voltam para a religião e existem aqueles que, simplesmente, surtam. Eu, segundo familiares, estou no último grupo. Quando minha mãe faleceu, há mais de 20 anos, tive uma reação estranha: no velório mantive-me falante, quase alegre, fazia piadas, e não parava de repetir, para quem quisesse ouvir, que ela estava bem e, mais importante, eu estava ótima. Sim, é estranho, mas não faça julgamentos apressados. Obviamente, esse “bem” ou esse “ótima” era...
Continue a Leitura »
Colunistas

O primeiro ano

O PRIMEIRO ANO Margarete Hülsendeger Poucas pessoas conseguem chegar à meia idade sem saber que existem portas que podiam ser abertas e que ainda podem. Doris Lessing (Amor, de novo) Sem vergonha ou constrangimento confesso: acredito no sobrenatural. Para quem sabe que durante metade da minha vida ensinei física para adolescentes, minha confissão pode parecer um paradoxo. No entanto, há algum tempo entrei em um acordo comigo mesma, atingindo um certo equilíbrio entre o que fui ensinada a defender e no que, por vontade própria, passei a acreditar. Portanto, lido bem com essas duas facetas da minha personalidade – a mística e a racional – sem abrir mão de nenhuma delas. Essa introdução teve como propósito preparar o “ambiente”...
Continue a Leitura »
Crônicas

And the winner is…

AND THE WINNER IS… Margarete Hülsendeger O homem pode encontrar significado na vida, curta e perigosa como é, somente através de seu devotamento à sociedade. Albert Einstein Todo o ano a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas anuncia os vencedores do Oscar (Academy Awards, no original em inglês) em uma cerimônia/festa transmitida, ao vivo, para quase todo o planeta. A TV cobre desde a chegada dos astros no tapete vermelho até o último sorriso congelado dos perdedores. Para quem gosta é um momento emocionante, pois podemos ver nossos atores e atrizes favoritos recebendo suas merecidas estatuetas folhadas a ouro. Sem o mesmo glamour da entrega do Oscar, todo o ano, no mês de outubro, são também anunciados os ganhadores...
Continue a Leitura »
Crônicas

Antimatéria: a ausente, muito presente

ANTIMATÉRIA: A AUSENTE, MUITO PRESENTE Margarete Hülsendeger Conhecimento não é aquilo que você sabe, mas o que faz com aquilo que você sabe. Aldous Huxley   Para muitos cientistas, o fato é o que importa. E o que seria “fato”? Segundo o Dicionário Houaiss, é “algo cuja existência pode ser constatada de modo indiscutível; verdade”. Portanto, vamos aos fatos. Fato 1: a bomba lançada em Hiroshima, no dia 6 de agosto de 1945, carregava um núcleo de 60 quilos de urânio 235, com um potencial destrutivo equivalente a 15 quilo toneladas (kt) de TNT. O resultado foi a morte imediata de aproximadamente 140 mil pessoas. Fato 2: se em vez de uma bomba atômica comum fosse utilizada uma bomba...
Continue a Leitura »
Crônicas

O “sobrenatural” no cinema e na ciência

O “SOBRENATURAL” NO CINEMA E NA CIÊNCIA Margarete Hülsendeger Por favor, deixa o Outro Mundo em paz! O mistério está aqui. Mario Quintana Você gosta de filmes de terror? E de fantasmas? Confuso com as minhas perguntas? Não se preocupe, eu explico. Em primeiro lugar, quero esclarecer que não gosto do gênero terror, principalmente se ele vem acompanhado de meninas de cabelo preto escorrido, casas mal-assombradas ou lugares onde as pessoas são metodicamente cortadas em pedaços. Definitivamente, esse não é o meu gênero de filme preferido. No entanto, aprecio filmes que abordem a temática espiritual de maneira minimamente elegante, não importando se é um drama ou uma comédia. Chorei assistindo “Ghost” (1990) e “Amor Além da Vida” (1998). Quase...
Continue a Leitura »
Crônicas

O quinto elemento ou a quinta força?

Margarete Hülsendeger O universo nos torna humildes. A natureza esconde muitos de seus mistérios mais interessantes. Mas os cientistas são arrogantes o suficiente para achar que podem solucioná-los. Lisa Randall (Batendo à porta do céu) Em 1997 estreava “O Quinto Elemento”, um filme escrito e dirigido pelo francês Luc Besson. Em seu elenco, Bruce Willis, Gary Oldman, Milla Jovovich, entre outros. Na produção, os quadrinistas Jean Giraud e Jean-Claude Mézières e no figurino, o estilista Jean-Paul Gaultier. A trama ocorre em 2263 quando uma ameaça alienígena só poderá ser evitada pela conjugação de quatro pedras sagradas, representando os quatro elementos – água, ar, fogo e terra – além do quinto elemento, corporificado pela extraterrestre Leeloo (Milla Jovovich). O personagem...
Continue a Leitura »
Crônicas

O Yin e o Yang da Física

O YIN E O YANG DA FÍSICA Margarete Hülsendeger A única diferença entre as ciências “rigorosas” (a física, a matemática) e as “conjecturas” (a história, a moral a política) é que das primeiras podemos obter uma segurança normal para nossas provisões, e das segundas seguranças relativas, pois se conhecêssemos todos os elementos e as forças em jogo, seríamos como a divindade. Jorge Luis Borges (Livro dos sonhos) Em 1947, aos 62 anos, um dos pais da Mecânica Quântica, o físico dinamarquês Niels Bohr, recebeu, do rei da Dinamarca, a condecoração do Cavaleiro da Ordem dos Elefantes, uma das mais antigas da Europa. O agraciado com a honraria deve escolher um brasão que permanecerá durante a cerimônia oficial ao lado...
Continue a Leitura »
Crônicas

Os fantasmas da Ciência

OS FANTASMAS DA CIÊNCIA Margarete Hülsendeger A ciência tira a sabedoria das pessoas e costuma convertê-las em fantasmas carregados de conhecimentos. Miguel Unamuno Você acredita em fantasmas? E em bruxas? Não. Talvez. No primeiro, mas não no segundo. Vice-versa. Não tem a menor ideia de onde estou querendo chegar. Para não deixá-lo mais nervoso, farei uma última pergunta: você sabia que a Física acredita em fantasmas? Chocado? Não fique. Seu mundo ou o mundo que você conhece, está seguro, pois quem defende a existência de tais “entidades” é a Mecânica Quântica. Sim, aquela área da Física que poucos entendem e na qual ocorrem fenômenos absurdamente esquisitos e surreais. Um desses estranhos eventos chama-se “entrelaçamento quântico”. Imagine dois irmãos: um...
Continue a Leitura »
Colunistas

A faxina como terapia

A FAXINA COMO TERAPIA Margarete Hülsendeger O cultivo da tranquilidade é um método extremamente eficiente para alcançar qualidades de elevada consciência. Dalai Lama Relaxar apresenta, segundo o dicionário Houaiss, oito diferentes significados: “dispensar do cumprimento de, perdoar, debilitar, corromper-se, enfraquecer-se, deixar de exigir, negligente, procurar repouso”. No entanto, na linguagem do dia-a-dia quando a palavra “relaxar” aparece em uma conversa, geralmente, é na sua oitava forma, ou seja, representando a busca por momentos de recreação nos quais se procura diminuir a tensão nervosa e a ansiedade. Nesse sentido, pode-se dizer que existem várias formas de relaxar, tudo dependendo do perfil da pessoa. Há aqueles que se sentem absolutamente relaxados quando estão atrás do volante de um automóvel – “sem...
Continue a Leitura »
Colunistas

Elas descobrem antes

ão se trata de uma pesquisa oficial, é mais um levantamento de informações pensando, quem sabe, na captação de novos “clientes”. Digo isso, pois não é aconselhável levar os dados que aqui vou divulgar ao pé da letra, ou seja, em uma linguagem científica, pode-se dizer que existem mais, muitas mais, variáveis a serem consideradas. No entanto, como curiosidade vale a pena conhecer, comentar e no final cada um tirar suas próprias conclusões....
Continue a Leitura »
Crônicas

Segundo amor

“SEGUNDO AMOR” Margarete Hülsendeger Afinal, a felicidade e o amor se parecem. Não se tenta ser feliz, não se decide amar. É-se feliz, ama-se. Mia Couto (A confissão da leoa) O título engana. Pelo menos a mim enganou quando li apenas a chamada da notícia. Então, se alguém pensou que se trata de uma nova oportunidade para amar e ser amado, lamento, não é bem assim. Não no sentido tradicional, pois não se trata da busca de uma relação que implique compromisso e o cultivo de sentimentos de afeto, amizade e, é claro, amor. Trata-se, na verdade, de sexo. Apenas sexo. Sem amarras ou culpa. Secondlove é um site onde as pessoas podem se cadastrar, utilizando pseudônimos e, a...
Continue a Leitura »
Crônicas

A genética da solidão

A GENÉTICA DA SOLIDÃO Margarete Hülsendeger O único problema da solidão consiste em como preservá-la. Mario Quintana Gosto muito de escrever sobre pesquisas, quanto mais estranhas melhor, e se o assunto tem relação com o comportamento humano não consigo resistir. Algumas chegam a ser divertidas de tão bizarras. Outras, com o selo da ciência, são interessantes e até instigantes. E, é claro, têm aquelas sobre as quais não vale a pena falar e, muito menos, escrever. A pesquisa abordada neste texto encontra-se na categoria “científica” e foi realizada na Universidade de Pequim. Segundo a fonte de onde retirei a notícia, um grupo de cientistas chineses, a partir de um estudo sobre o gene 5-HTA1, responsável por afetar o hormônio...
Continue a Leitura »
Crônicas

O importante é ler!

Ler deve ser um prazer para mente e para o espírito. Mario Quintana já dizia que o verdadeiro analfabeto era aquele que apesar de saber ler, não desfrutava do prazer da leitura. Assim, se a sua mente lhe pede açúcar, qual é o problema? Por que não ouvi-la? O importante é ler. E se ao longo desse processo seu gosto for se tornando mais apurado e, quem sabe, aproximar-se do gosto dos críticos, melhor ainda. Só não se deixe pautar ou rotular....
Continue a Leitura »
Crônicas

Dormir e sonhar

DORMIR E SONHAR Margarete Hülsendeger O mundo do sonho é silencioso como o mundo submarino. Por isso é que faz bem sonhar. Mario Quintana Há algum tempo sabe-se que a falta de sono causa uma série de efeitos prejudiciais ao corpo humano, como problemas no sistema imunológico e descontrole do peso. Os efeitos são tão severos que os “torturadores profissionais” têm usado de forma eficaz esse método para extrair informações e no processo transformar a mente de suas pobres vítimas em mingau. Existem histórias tenebrosas sobre prisioneiros que após ficarem 15 dias sem dormir arrancaram pedaços do próprio corpo ou cometeram suicídio. Recentemente, um estudo científico – sem qualquer tipo de relação com tortura! – sobre a privação do...
Continue a Leitura »
Cultura

Resistir sempre

RESISTIR SEMPRE Margarete Hülsendeger Minha memória é composta de fragmentos de existência, estáticos e eternos: o tempo não passa entre eles, e coisas que aconteceram em épocas muito distantes entre si estão juntas, ligadas ou reunidas por estranhas antipatias e simpatias. Ernesto Sabato (2008, p. 24) No dia 30 de abril de 2011, quando estava a dois meses de completar cem anos, morria na cidade de Santos Lugares, na Argentina, aquele que é considerado um dos maiores escritores argentinos de século XX, Ernesto Sabato. Antes da notícia de sua morte, confesso, nunca havia lido nenhum livro dele. Aliás, se é para ir mais longe na minha confissão, nunca sequer ouvira falar em Sabato. No entanto, quando li, por ocasião...
Continue a Leitura »
Crônicas

Criando necessidades

Costumo dizer que as crianças nascidas neste século vêm ao mundo com um celular ou smartphone na mão, já conectadas ao wi fi. Basta passear pelo shopping em uma tarde de sábado ou de domingo e observar. Enxames de adolescentes com fones de ouvido caminham pelos corredores sem olhar para os lados e quando sentam nas mesas das praças de alimentação “conversam” virtualmente com amigos ausentes e até mesmo com os presentes. Crianças pequenas são transportadas em carrinhos carregando nas mãos tablets nos quais podem acessar jogos, músicas e filmes. Quer ter um almoço tranquilo em um restaurante? Entregue o celular ao seu filho, ele saberá o que fazer....
Continue a Leitura »
Crônicas

As moiras do século XXI

Cloto, Láquesis e Átropos, três irmãs que tinham em suas mãos o destino dos deuses e dos homens. Chamadas pelos gregos de Moiras e pelos romanos de Parcas realizavam seu trabalho utilizando a Roda da Fortuna, um tear no qual teciam os fios das vidas dos mortais e imortais. A posição do fio na roda determinava os bons (ponto mais alto) e maus (ponto mais baixo) momentos da vida de cada indivíduo....
Continue a Leitura »
Cultura

Um amor suspenso

O quadro é idílico, uma imagem quase lírica de um amor casto entre dois jovens inexperientes. Seria assim se essa imagem não fosse retirada do livro “Na praia” (em inglês, On Chesil Beach), do escritor inglês Ian McEwan – também conhecido nos meios literários como “Ian Macabro”. Se alguém já teve a oportunidade de ler algum de seus livros a essa altura deve estar suspeitando de que existe algo mais por debaixo dessa cena aparentemente romântica, quase poética. E a suspeita, é claro, acaba se confirmando....
Continue a Leitura »