política

A vítima comum da Direita e da Esquerda

A vítima comum da Direita e da Esquerda Daniel Medeiros* O final do século XX e essas duas primeiras décadas do século XXI revelaram uma mudança muito expressiva na noção geral sobre o “futuro”. As utopias revolucionárias do fim do XIX e primeiras décadas do XX – tanto comunistas quanto fascistas – imaginavam um lugar e um tempo no qual as sociedades – de classe, no primeiro caso; nacionais, no segundo – viveriam, conjuntamente, uma espécie de “paraíso” na Terra, livres dos infortúnios econômicos e dos inimigos raciais e/ou religiosos. E qual mudança vem se processando? A ascensão de um novo tipo de aspiração de vida, focado no presente e não mais no futuro. Uma aspiração hedonista, alimentada pela...
Continue a Leitura »
Em questão

Já falou mal do Brasil hoje?

  *Alvaro Fernando   Falar mal do Brasil virou esporte nacional. Lamentavelmente, é assunto presente em todas as rodas por todos os estados. Mais uma vez, podemos rivalizar com os argentinos, que são experts em falar mal da Argentina. E precisaremos de muito treino para superá-los – mas estamos evoluindo bem. Se olharmos com um pouco de cautela, logo perceberemos que os indianos também falam mal da Índia o tempo todo e, assim como nós, vivem procurando um culpado para tudo de ruim que acontece por lá. Os Italianos adoram “parlare male di”, e, no ano passado, ao participar de um congresso em Denver, nos EUA, nunca ouvi um povo andar tão decepcionado com um país quanto o americano...
Continue a Leitura »
política

Por que tanta gente se arrisca tanto para viver nos EUA?

POR QUE TANTA GENTE SE ARRISCA TANTO PARA VIVER NOS EUA? em diálogo com o texto de Diego Casagrande (http://www.metrojornal.com.br/m/#/artigo/348881) Por William Jorge Gerab Uma das vantagens econômicas dos países mais desenvolvidos é a de que conseguem puxar para o seu território grande parte das riquezas produzidas nos países sobre os quais mantêm algum contato e/ou controle econômico. Conseguem isso por diversos motivos, dentre os quais as remessas de lucros e royalties das suas empresas nesses países; a chamada “troca desigual” – com a qual conseguem vantagem na balança comercial, pois mercadorias com alto grau de tecnologia têm custos menores (mesmo que se troque mercadorias iguais); as impagáveis dívidas dos países menos desenvolvidos são, talvez, as principais fontes de...
Continue a Leitura »
Ciências Sociais

Imagem e Poder na campanha eleitoral 2016: uma análise da disputa pela prefeitura em São Paulo e Porto Alegre

Imagem e Poder na campanha eleitoral 2016: uma análise da disputa pela prefeitura em São Paulo e Porto Alegre   Deysi Cioccari Edson Rossi Resumo: O presente artigo pretende abordar como os jornais Zero Hora e Folha de S. Paulo representaram os candidatos à prefeitura de Porto Alegre e São Paulo, respectivamente, no ano de 2016. Analisamos as matérias nas editorias Política e Poder dos jornais referidos, desde 1 de junho de 2016 à 31 de setembro de 2016, véspera da votação de primeiro turno.  Buscamos entender a relação entre mídia, imagem e poder. Nossa hipótese é de que a mídia contribui decisivamente para a construção do personagem político. Palavras-chave: Campanhas; Imagem; Comunicação; Poder; Espetáculo. Abstract: This article aims...
Continue a Leitura »
política

Tolerância política nas eleições determina democracia de sucesso

por Miller Matola, CEO da Brand South Africa Ao ler o artigo “The hard edge of hammerpolitics”, escrito por Ferial Haffajee, somos lembrados mais uma vez que, nas preparações das festas pelos 20 anos de democracia no país, ainda há muitos cidadãos que optam por violência e protestos para defender opiniões pessoais. Não aprendemos nada durante esses 20 anos sobre como fazer uma mudança real e alcançar o progresso com entendimento, perdão, reconciliação, diálogo pacífico e negociação ao invés de armas e violência? A Sra. Hafajee está certa ao nos lembrar de que sempre há outra maneira de fazer nossa voz ser ouvida, como nos protestos de 1956 em que aconteceu a marcha das mulheres aos prédios dos Sindicatos...
Continue a Leitura »
Ciências Sociais

Territorialidade e Territorialização na Elaboração de Laudos Antropológicos

Territorialidade e Territorialização na Elaboração de Laudos Antropológicos Leone de Araújo Rocha   Resumo: Nos processos de regularização fundiária quilombola, muitas vezes ocorre o conflito entre a definição da área proposta pelos quilombolas e a área final, aquele que foi possível identificar ou que garante de fato a demarcação da área. Busca-se neste artigo definir os conceitos de territorialidade e territorialização e sua aplicação no processo de elaboração de Laudos Antropológicos para a regularização fundiária quilombola. Palavras-Chave: Território; Territorialização; Quilombo; Laudos Antropológicos Summary: In the quilombo land regularization process often occurs conflict between the definition of the area proposed by the Maroons and the final area that it was possible to identify or guarantees indeed the demarcation of the...
Continue a Leitura »
política

Eleições em São Paulo

Por Celio Turino Gostaria de compartilhar análise sobre a manutenção da candidatura Russomano. Por óbvio, ele torna-se um forte candidato. É conhecido, tem recall, forte penetração na periferia, com base militante via Igreja Universal, tem recursos financeiros e agora, com a absolvição no Supremo, pode-se apresentar como ficha limpa, apesar de suas histórias escabrosas. Mesmo sabendo que ele não é um candidato de chegada, caso mantenha o piso de 2012 (21%), dificilmente estará fora do segundo turno. Como pontos débeis. A fragilidade de conteúdo programático e vinculação com fundamentalismo/oportunismo da Universal e PSC (que passará por mau momento em virtude das denúncias contra Feliciano). Mas ainda assim, há que levar em conta que SP tem tradição em eleger candidatos...
Continue a Leitura »
Gestão Pública

Participação popular além do voto

Luís Mário Luchetta* A Constituição de 1988 já prevê a participação do povo na gestão pública – o primeiro passo a ser dado na construção de uma sociedade verdadeiramente democrática. Porém, para que o cidadão possa ser reconhecido como sujeito histórico e protagonista no processo de desenvolvimento, é preciso encurtar distâncias entre o eleitor e o poder público e ampliar a sua participação para além do voto. Mas ainda existe muita burocracia, informações desencontradas, processos lentos, falta de controle e organização em grande parte dos centros urbanos. O uso da Tecnologia de Informação e Comunicação pelos municípios deve ser visto muito mais que um mero processo de automação, mas um caminho sem volta na obtenção de resultados eficazes na...
Continue a Leitura »
Em questão

Lutar pela vida, também, significa escolher a hora das batalhas importantes

William Jorge Gerab O Agenor enviou a matéria da revista Carta Maior e eu comentei: http://cartamaior.com.br/… LUTAR PELA VIDA, TAMBÉM, SIGNIFICA ESCOLHER A HORA DAS BATALHAS MAIS IMPORTANTES. O mais cruel é que a situação dos movimentos sociais só piorou neste período. Estão sofrendo inúmeras derrotas e a base oprimida da sociedade está desanimada e desiludida com a esquerda (em geral) e sem disposição para mobilizar-se pelas suas mais legítimas demandas (das econômicas às mais diretamente políticas). Isso nos confina às análises especulativas, às sondagens das intenções dos inimigos e, pior, mantém e aprofunda nossas divisões. Precisamos, urgentemente, agregar a essas nossas formas viciadas atuais de fazer política às atividades que promovam a reestruturação dos movimentos sociais e ao...
Continue a Leitura »
Colunistas

Unir sempre, dividir jamais

João Guilherme Vargas Netto Todos aqueles que pensaram no afastamento da presidente Dilma como uma forma de pacificar o país e estabilizar a situação política, restaurando-se a moralidade pública, erraram feio. Mesmo sendo muito difícil que o Senado reverta o afastamento de Dilma, o governo de transição tem se revelado como um conjunto de homens ditos experientes obrigados a executar aos olhos de todos, uma série de ações, recuos, passos em falso e trapalhadas de principiantes na condução política. Muita avidez, pouco siso. Continuamos em plena crise, com o país dividido, apreensivo e sofrendo com a recessão, que passa a ser enfrentada, pela nova equipe econômica de maneira exclusivamente rentista, antipopular e antiestatal. Uma coisa fica clara a cada...
Continue a Leitura »
Em questão

O que será o amanhã? Responda quem puder!

O QUE SERÁ O AMANHÃ? RESPONDA QUEM PUDER! Davys Sleman de Negreiros             Independente de que lado você esteja nesse momento, se é que agora tenhamos algum lado, temos que concordar que a política contemporânea – ampliada, alargada e predominantemente realizada enquanto hegemonia exige – importante momento/movimento de realização pública. A política, antes centralmente segredo, exclusão e violência, passou a ser, de modo significativo uma atividade pública, uma luta pública no campo de forças que são os meios de comunicação, uma busca pública de aglutinação e ampliação de poder em meio às contradições e conflitos que marcam a vida sócio-midiática.             A contaminação da política pela comunicação não se esgota no deslocamento do poder ocasional de temas/atores/cenários. A questão...
Continue a Leitura »
Em questão

Um golpe parlamentar e a volta reacionária da religião, da família, de Deus e contra a corrupção

Leonardo Boff Adital Observando o comportamento dos parlamentares nos três dias em que discutiram a admissibilidade do impedimento da presidenta Dilma Rousseff parecia-nos ver criançolas se divertindo num jardim da infância. Gritarias por todo canto. Coros recitando seus mantras contra ou a favor do impedimento. Alguns vinham fantasiados com os símbolos de suas causas. Pessoas vestidas com a bandeira nacional como se estivessem num dia de carnaval. Placas com seus slogans repetitivos. Enfim, um espetáculo indigno de pessoas decentes de quem se esperaria um mínimo de seriedade. Chegou-se a fazer até um bolão de apostas como se fora um jogo do bicho ou de futebol. Mas o que mais causou estranheza foi a figura do presidente da Câmara que...
Continue a Leitura »
Em questão

Diálogo e serenidade para avançar

Clovis Nascimento   O país vive um momento profundo de polarização e acirramento de ódio. Estas narrativas e violências simbólicas e físicas estão dilacerando as relações sociais. Estamos perdendo nossa capacidade de diálogo e de compreensão do outro. Nos falta alteridade, principalmente no sentido de cidadania coletiva. Nos falta fraternidade na discordância durante o saudável debate político. Sobram maniqueísmos e autoritarismos. O pulso de leitura de informações, dos fatos e da própria realidade é contaminado pela passionalidade. E as paixões podem cegar a possibilidade de diálogo. Independentemente de filiação partidária ou voto nas últimas eleições, nós, brasileiras e brasileiros, precisamos de tranquilidade para analisar a atual crise política.   O olhar para o outro como inimigo está dilacerando o...
Continue a Leitura »
Comunicação

Todos os homens do rei

No livro de Warren a ‘escolha’ é o ponto central da trama, pois seu personagem Willie Stark tem livre arbítrio para fazê-las e deixa que os meios contaminem os fins, não interessando mais o quão idealistas eles fossem, e explicita que o que pesará sobre o personagem (ou indivíduo) é a responsabilidade. Todos os homens do rei é um livro fundamental para entender a nossa realidade política e social atual; para quem não consiga digerir o enorme volume de mais de seiscentas páginas, indico o filme (baseado no mesmo) que no Brasil tem o título de A grande ilusão, adaptado e dirigido por Robert Rossen, em 1949, um clássico do cinema noir americano dos anos 1940....
Continue a Leitura »
democracia

Reflexões à respeito das generalizações sobre a corrupção – ou “o buraco é mais em baixo”

REFLEXÕES À RESPEITO DAS GENERALIZAÇÕES SOBRE A CORRUPÇÃO – ou “o buraco é mais em baixo” (W.J.Gerab -21/03/16) À PROPÓSITO DOS COMENTÁRIOS CIRCULANTES DE QUE A CORRUPÇÃO ESTÁ ESPALHADA EM TODA A POPULAÇÃO, O QUE PODE LEVAR À BANALIZAÇÃO DOS CRIMES MAIS GRAVES. No “Auto da Compadecida”, Suassuna concede, via Virgem Santíssima e seu filho, a absolvição eterna a Lampião, “Rei do cangaço”, apesar das suas atrocidades, por ter enlouquecido na infância, ao ver sua família dizimada (com requintes de crueldade), pelos jagunços de um coronel, interessado nas terras dessa família. Suassuna, apenas repassa um conceito precário de justiça, muito enraizado na cultura de muitos povos, no qual, se for em retribuição, injustiça, autoritarismo e violência se justificam e...
Continue a Leitura »
política

Atentados

A cultura desses povos – que está longe de ser única, portanto, comum a todos – guarda características de conflito de valores com o mundo ocidental. Sempre guardou – basta nos lembrarmos das invasões mouras que deram cabo do Império Romano nos meados do século V d.C...
Continue a Leitura »
Ciências Sociais

Poder e Política no pensamento de Hannah Arendt

Este artigo objetiva fazer uma reflexão sobre as concepções de política e poder no pensamento de Hannah Arendt. Para a autora, o poder está associado à capacidade de iniciar e de desenvolver ações com os outros, estando fortemente relacionado com a liberdade. Nessa mesma linha, a política é uma instância de fundação do mundo comum e de resistência à sua destruição...
Continue a Leitura »

Uma análise da percepção de professores de geografia sobre as políticas neoliberais

O presente artigo apresenta as percepções de professores de Geografia sobre as políticas neoliberais adotadas na Educação Brasileira. Utilizamos a teoria crítica. O artigo explica o que é Geografia Crítica; compara o Neoliberalismo com ideologia da Modernização Conservadora; analisa as percepções dos professores sobre a política neoliberal em estudo de Lopes e Sambrano (2010) e encerra conclamando os professores críticos à construção de um movimento de resistência às construções neoliberais na Educação brasileira. ...
Continue a Leitura »
crise

Carta aberta a Chicago

  Antonio Neto* Após se lançar numa aventura suicida, cortando direitos trabalhistas e sociais para atender aos caprichos dos operadores do mercado financeiro instalados na equipe econômica – distanciando-se do projeto de combate à miséria pelo qual lutamos e defendemos -, integrantes do primeiro escalão do governo partiram para a chantagem explícita contra o povo e aliados que mantiveram seus princípios. Um dia após a votação da MP 665, que corta o direito de os trabalhadores acessarem o seguro-desemprego, seguro-defeso e abono salarial, o senhor ministro da Fazenda, Joaquim Levy, teve a desfaçatez de insinuar restrições nos programas sociais, caso o Congresso Nacional não chancele a sua proposição de aviltar os direitos sociais e o programa de desoneração que...
Continue a Leitura »